12 jan 2018

Finais emocionantes, premiações e noite de samba marcam o penúltimo dia dos Jogos de Verão das Caixas dos Advogados


Dupla Capixaba Lielson Lemos e Glauber Alves

A emoção tomou conta do penúltimo dia da segunda edição dos Jogos de Verão das Caixas dos Advogados, nesta sexta-feira, 12. Pela manhã os atletas do vôlei de praia suaram a camisa e fizeram bonito nas areias do Clube Álvares Cabral.

Com uma torcida empolgada e partidas acirradas, disputadas ponto a ponto, capixabas e gaúchos se destacaram e ocuparam quase todas as posições do pódio. A dupla capixaba Lielson Lemos e Glauber Alves ficou em terceiro lugar. “O jogo foi disputado e eles estavam mais bem preparados. Tem pouco tempo que estamos treinando”, explica Glauber.

Os gaúchos chegaram à final e enfrentaram a dupla de Rondônia, campeã da última edição dos jogos. Debaixo do sol escaldante de meio dia, os atletas deram suor, corpo e alma e fizeram o público vibrar com o placar apertado. A disputa foi intensa, mas no tie break deu Rio Grande do Sul. A comemoração foi refrescante, com muita alegria e até declaração de amor. “Quero mandar um beijo para minha esposa e minha família. Eu amo demais vocês”, revela Chico.

Na rede ao lado do vôlei, estavam as advogadas do beach tênis. A dupla carioca Paula Fajardo e Raquel Ceru venceu a dupla de Mato Grosso e garantiu lugar na final. “É a segunda vez que participo do campeonato. Estou muito feliz de estar na final. É bom demais quando a gente se dedica em prol de um objetivo e consegue alcançá-lo”, comemora.

Da areia para as quadras de saibro, o ritmo das partidas continuou forte. O capixaba Jair Cortez enfrentou o gaúcho Jonatas Severo. Jogadores de tênis desde a infância, os dois atletas têm a modalidade como grande paixão. “O tênis, junto com o direito, é a grande paixão da minha vida”, diz. Vindo de uma temporada de lesões, o advogado capixaba não conseguiu acompanhar os movimentos do gaúcho. “O mérito é todo do Jonatas. Ele é um tenista muito consistente com jogadas inteligentes. Dificilmente eu ganharia”, revela.

Advogado que se preze sabe bem como sair de uma sinuca de bico. Não é à toa que a sinuca é uma modalidade querida pela categoria. Com análise precisa, os atletas da modalidade mostraram que é necessária muita estratégia para se sair bem no jogo.

Na final deu dobradinha do Rio de Janeiro, com Ivan Nandes e Miqueloti na disputa. A pontuação foi apertada, mas Ivan levou o ouro e dividiu os méritos da bonita partida com seu vice. “Eu e Miqueloti somos parceiros, grandes amigos. Tenho muita admiração por ele. É um jogador muito forte e bem treinado. Poderia ter dado eu ou ele, mas, por sorte, consegui levar”, conta. O atleta campeão desenvolveu a habilidade ainda criança e a paixão pelo esporte foi passada de pai para filho. “Meu pai jogava muito e me ensinou. Por isso é meu esporte do coração. Tenho o sonho de ver a modalidade nas Olimpíadas um dia”, revela.

Nas águas os atletas-advogados deram um show de energia. Na categoria masculina de 50m, o mais veloz foi o capixaba Leonardo Nunes, que fez o impressionante tempo de 26 segundos e 28 centésimos. No feminino, a mineira Flavina Keller teve uma dupla vitória: nas categorias de 50m e de 100m.

Já nas quadras da Secretaria de Estado de Esportes e Lazer (Sesport-ES), os ânimos ficaram exaltados na final do basquete entre Distrito Federal e Rio de Janeiro, com os cariocas levando o ouro para casa.

No final do dia foi realizada a premiação dos atletas vencedores, seguida por uma animada confraternização ao som da escola de samba Unidos da Piedade.